terça-feira, 21 de julho de 2009

... Muito acelerado

Oi amigo, como vai?

Depois de uma fase bastante atribulada, e de uma grande ausência nas nossas correspondências, creio que minha “vidinha mais ou menos” está de volta. Trago novidades no campo profissional (Eu me formei!!), mas nada de novo no que diz respeito ao coração.

Desde a última vez que lhe escrevi, absolutamente nada de importante aconteceu. Nada. A noite na boate, que me encheu de expectativas, não foi nada boa. Um único cara me olhou, enquanto, ao mesmo tempo, olhava também para os meus dois amigos. Terminou a noite se agarrando com seu amigo.

Não entendi nada daquilo. Do mesmo jeito que não entendi como uma boate tocava axé e funk, trazia um go go boy com uma cara de tédio e, a toda hora, interrompia a música pra fazer sorteio de cortes de cabelo e tatuagens – tudo feito ali, na hora. Péssimo.

Pelo menos não fiquei deprimido! A verdade é que me sobrou pouco tempo para pensar em alguém e, quando digo “alguém”, não me refiro apenas ao Rafael. Estava cansado. Exausto. O corpo pedia descanso. A mente também. Mesmo assim, bastava eu pensar em sair e me divertir para que a mente me lembrasse que tinha uma monografia pra entregar, e o corpo pedisse “cama”, tão rara durante os últimos dois meses.

Hugo foi quem mais tentou me distrair por todo esse tempo. Acho que nunca comentei sobre ele com você. Hugo é um amigo “hétero”, segundo ele. É um caso complicado. A gente já ficou uma vez, bêbados e loucos. Uma vez. E só. Apesar disso, sempre que nos encontramos, fica aquele clima de que pode rolar alguma coisa.

Ele fica num jogo, no mínimo curioso: faz que quer, e corre. Mas eu sou totalmente desencanado dele. Sei que o que tinha que acontecer entre nós já aconteceu. No fundo, o vejo com uma brincadeira que deu certo e, ao mesmo tempo, foi um grande acidente. Entende? É uma história bastante complicada. Prometo que um dia reservo uma carta só pra falar do Hugo...

Também me animei a ir ao cinema com um cara que, misteriosamente, apareceu no meu MSN. Não sei de onde ele veio. Juro que realmente “apareceu”. O papo foi bom e ele terminou por me convencer a tentar. Fomos ao cinema depois de várias recusas da minha parte (pra variar, enlouquecido com o trabalho que tinha que terminar!). Fui meio que querendo que não desse certo, e não me pergunte o porquê disso! Por fim não deu mesmo certo. Acho que não ficamos nem amigos... Não sei se valeria a pena, mas também não sei o porquê disso.

Rafael, que esteve sumido por grande parte desse tempo, reapareceu com uma mensagem no celular. “Estou ouvindo o CD da Ana Cañas que você me deu, e lembrando de você”. Eu, idiota, respondi que “nem preciso da Ana Cañas pra me lembrar de você”.

Desde então, escutar a Ana me faz, automaticamente, pensar nele.


Não, isso não é engraçado!

Um coração assim, roubado,

Bate muito acelerado...


Semana que vem ele faz aniversário. O que eu faço? Pensei em dar-lhe um CD da Paula Toller. Assim ele vai poder se lembrar de mim sempre que ela cantar: “Você me ganhou de presente, com laço e etiqueta de garantia...”.

O que você acha??

Prometo ser mais freqüente em minhas cartas.

Até a próxima.

15 comentários:

FOXX disse...

vc vai dar um presente pra ele?
dê pra mim! mto melhor!!!

Arsênico disse...

Sei lá amigo... não conheço todos os detalhes dessa relação... mas se não houver mais nada entre vc's... acho melhor repensar em dar-lhe um presente... a não ser que queira fazê-lo como vingancinha... pra ele sofrer... ou mesmo apenas lembrar-se de vc...

E o se fazer presente sem estar presente e sem pedir licença... acho tudo...

Ah... quer saber... dÊ o CD a ele... será no mínimo divertido!

***

umBeijo e escreva-me sempre... hahaha!

Hugo Zanardi disse...

Ei Theo eu não sou hetero (aloka)... hehehe
Bacana sua carta... semana passada foi niver do meu ex tbm, qu hoje está casado... foi barra, mandei só uma msgm no cel e um "parabéns" no kut.. acho que distânciar e buscar coisas novas é o mais apropriado... curti seu texto e mto obrigado pela visita ao Cartas.
BJos

diariodeumaposadolescente disse...

Faça o que o teu coração mandar...

Jan disse...

Adoro o seu estilo de escrita, essa idéia da carta fica muito intimista, maravilhoso.
Quanto ao presente acho a idéia legal, parece que essa história ainda não acabou né, então vai em frente.
Obrigado pela visita no Castelo de Farsa.

Abraços

Vanderson disse...

é concordo com o foxx
dê o presente pra ele q vai ser
melhor!!
abraçoo!
e fazia tempo q eu
num aparecia aki!!

Identidades Fragmentadas disse...

Há coisas que somente quem passa pela situação pode opinar. Pode parecer bobagem seguir que sua intuição diz, todavia se isso acontecer. Não fique se martirizando. Apenas viva a vida, e pense que tudo pode ser novo a cada dia. Tudo aquilo que passa por nós, não nos deixa só, nem vai embora só. É uma questão de constituição humana...

J. M. disse...

vc vai dar um presente pra ele?
dê pra mim! mto melhor!!! (2)

Estampado disse...

rsrsrsrs
Vá fundo.
Mio, você se formou em quê?
Adoro passar aqui.
Abraços

Estampado disse...

Theo, também sou formado em jornalismo.
Adoro essa profissão.
Bjãooooooooooooooo

O Pequeno Diabo disse...

eu sou uma negação cm as mensagens d celular

acabo sendo sempre o mais carinhos
e acabo semdo sempre nem respondido!

hehe

xx

Dil Santos disse...

Olá, tudo bem?
Legal a carta, rs
Desculpe meio que opinar, mas pelo que percebi, ñ tem mais futuro, acho que vc está sofrendo bastante pelo fato de ficar com esperanças de que dê certo.
Acho que o melhor é seguir em frente, falo isso por experiência própria, rsrs.
Mas o CD e Paula Toller é perfeito, lindo ele, o novo dela tbm, rsrs
Boa sorte

:)

Luan disse...

parabens pela formatura!

e o cd da La Toller eh sempre uma otima pedida.

abs.

Anjinha Brava disse...

Olá Théo! Tudo bem?
Passei por aqui e adorei suas cartas! Te visitarei sempre que possível, ok?!
Ah! te linkei no meu blog também! Grande abraço!

Caco Olli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.